As belezas d’outro mundo

22 abr

Série: Game of Thrones
Episódio: #4 – Garden of Bones
Temporada: 2ª
Canal de Exibição: HBO
Spoilers: Sim
Estrelas: 4 em 5

Admito que me decepcionei no terceiro episódio de Guerra dos Tronos pela falta de Daenerys e seu Khalasar. Acho essa trama da série uma das melhores e mais belas em relação às paisagens e caracterização. Enfim, o quarto episódio, além de trazê-la de volta ao enredo, teve cenas mais objetivas, que dão mais ritmo à série.

Em Garden of Bones, a mãe dos dragões chega à Qart e é recebida pelos treze, os regentes da ‘maior cidade’. Negando mostrar os dragões ao conselho, ela desafia a cidade dizendo que será o primeiro lugar a queimar quando seus dragões já tiverem força. Assim, assustados, eles aceitam a entrada de Daenerys. O diálogo e a cena do portão até o vislumbre de Qart são geniais.

Enquanto isso, em Westeros, Joffrey ridiculariza Sansa em frente à corte, punindo a pela vitória que seu irmão teve no combate contra os Lannister. À tempo, Tyrion aparece para salvar a garota de seu futuro esposo. O sadismo de Joffrey começa a aparecer e fica ainda mais claro na cena em que ele pede que uma prostituta espanque a outra, e que ambas sejam devolvidas a quem o presenteou – Tyrion, seu tio.

A discussão entre Renly e Stannis também continua, mas é Stannis quem dá os primeiros passos para finalizar a disputa. Na última cena, o ex-mercenário Davos é encarregado de levar Melisandre até os portões do reino de Renly. Ali, na escuridão, ela pratica sua magia e dá à luz a sombra (se você assistiu, sacou!), em uma cena espantosa e perfeitamente construída, com seu jogo de luzes e ângulos.

Guerra dos Tronos continua chocando pela qualidade das imagens. Todas as cenas são construídas com perfeição nos detalhes, figurinos e cenários. Além disso, a série desperta os mais diversos sentimentos, seja no belo diálogo entre Rob e Talesa em meio às mortes da guerra, seja na cena de tortura dos prisioneiros em Harrenhal, onde Arya e Gendry são mantidos. A crueldade é tratada de forma crua, que choca.

No geral, prefiro episódios como este, centrado em poucos núcleos e que explora profundamente a história. Quando não, torna-se apenas um episódio de ligação, que perde em conteúdo ao querer explicar um pouquinho de cada coisa. A corrida pelo trono é grande demais para 40 minutos!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: