O que você perdeu em: The Walking Dead

13 fev

Após seis episódios de sucesso, uma explosão meio porca e um cliffhanger interessante, The Walking Dead retornou para uma segunda temporada de isolamentos, sacrifícios e muita angústia. Se você não estava por aqui quando o holocausto zumbi aconteceu, não se preocupe: vou te inteirar a respeito.

The Walking Dead segue o apocalipse zumbi e a comitiva de sobreviventes liderada por Rick Grimes (Andrew Lincoln), autêntico xerife americano (estão lá as roupas e atitude de salvador da pátria que não me deixam mentir). Após uma caótica história de encontros e reencontros – Rick, dado como morto, reencontra o filho e a esposa, sem saber que seu antigo parceiro de polícia, também ali, teve um tico-tico no fubá com ela – e de fugas e muitas mortes, a temporada um termina com a desesperança da ciência perante a incontrolável tragédia zumbificada.

A segunda temporada se inicia com Rick guiando a viagem cega pela rodovia – com um dead walk inesquecível e que já vale o episódio -, agora liderando um grupo reduzido e cheio de problemas (os “pontos humanizadores”, como as duas crianças e o velho, e os “pontos transtornantes”, como a arrastadíssima esposa do xerife e a jovem loira-suicida). Em meio aos zumbis, uma das crianças, a menina Sophia, desaparece na floresta que cerceia a rodovia – e este desaparecimento guia os sete primeiros episódios desta temporada.

Criticada pela maioria dos telespectadores, impacientes com a menina que nunca aparecia durante as mais exaustivas buscas,  o desaparecimento de Sophia pareceu mover e solucionar o roteiro da série nos mais diversos aspectos: não só conseguiu economizar no orçamento e fixar as locações num ponto específico, mas, trabalhando num cenário aberto e estranhamente deserto, conseguiu diminuir o número de  aparecimento de zumbis sem parecer incoerente. Além disso, nos botou em contato com os moradores da fazenda Hershey, liderada por um senhor homônimo, que abriga o nosso grupo de sobreviventes enquanto estes buscam por Sophia (obviamente, o senhor Hershey faz isso pra pagar uma dívida com Rick. Vale a pena ver para saber qual).

Por conta disso, o paradeiro de Sophia desenvolveu os personagens com muito êxito: deu novas dimensões ao personagem de Daryl (Norman Reedus), dedicando um episódio inteiro ao seu desenvolvimento; criou um interesse romântico não muito simpático para o jovem Glenn (Steven Yeun); criou um segredo enorme – e uma nova forma de enxergar os zumbis – na própria fazenda Hershey; falou da gravidez da esposa de Rick e de como criar um filho durante o fim do mundo e, finalmente, transformou Shane (John Bernthal), o parceiro de Rick, num dos personagens da série mais deliciosos de se odiar.

Revelando o paradeiro de Sophia nos dez minutos finais do sétimo episódio, numa das cenas mais chocantes dos últimos tempos, a segunda temporada chega em sua metade com muitas promessas. O episódio novo, “Nebraska”, foi ar nos Estados Unidos ontem à noite na AMC. Pra dar aquele gostinho (não de sangue e carne morta, por favor), segue a promo do episódio:

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: