Regionais Originais?

17 mar

Série: Glee
Episódio: #16 – Original Songs
Temporada:
Exibido em: 15/03/2011
Canal de Exibição: Fox
Spoilers: Sim
Estrelas: 4 em 5

Sim, o título é péssimo. Ele rima, trava a língua e mesmo assim não consegui pensar em outra maneira de colocar o último episódio de Glee. A expectativa para “Original Songs’era muito grande, e o título já explica isso. Pela primeira vez no seriado, foram ‘encomendadas’ as músicas da apresentação. A escolha para para escrever as músicas ficou com o produtor Max Martin, que entre seus últimos projeto está ‘Hold it against me’, da cantora Britney Spears. A referência é fraca, eu sei, já que o novo hit da cantora pop é muito chato, mas as músicas originais ficaram boas. Note aqui que eu não disse excelente ou fantástico, e sim, bacanas. Observei a minha impressão em vários outros comentários de fãs, e também tiveram aqueles que detestaram porque a música é ‘muito normal’. Fã de Glee é exigente!

Mas, de volta ao episódio, tudo começa com mais uma maldade de Sue Sylvester, lembrando que a ex-chefe das cheerios é a técnica do Aural Intensity, competitores dos New Directions nas Regionals. Mr. Schuester e sua equipe, na impossibilidade de cantar My Chemical Romance, vão ter que correr para conseguir um novo número. E, apoiada por Quinn, Rachel consegue que acatem a ideia dela deles escreverem as próprias músicas. 

Começa então um show de boas risadas com as tentativas do coral. Santana decide cantar sobre a boca gigante de Sam, Puck coloca o violão no ombro o canta sobre a ‘gostosura’ de Lauren, e Mercedes improvisa um monte de protestos com a sua famosa frase “Hell to the no”. Os ritmos e letras ficaram muito bons e criativos, e há quem diga que até melhores do que as duas escolhidas para a apresentação. Eu gostei de todas as versões, mas ainda acho que a escolha da ‘Get it Right’ e ‘Loser like me’ foi acertada.

Além de toda a criatividade à flor da pele, um drama já aturado pelos fãs continuou a se desenvolver ao longo desse episódio. O triângulo amoroso entre Rachel, Finn e Quinn foi se intensificando e chegou a um limite chororô que resultou na garota judia acionando sua dor interior e escrevendo Get it Right, o solo dos ND do Regionals.

Já no colégio Dalton, os fãs do casal gay formado por Kurt e Blaine ganharam uma excelente cena. Kurt, que desde o início do episódio, já estava muito interessante, com direito até à lições de moral em Blaine e cover de Blackbird, ganhou um beijo de fazer a temperatura subir. Sempre elogio os roteiristas de Glee pelo tratamento à temática do Kurt, e dessa vez eles se superaram. Que beijo foi aquele?

Mas vamos avançar para a performance das 3 equipes. Mais uma vez três jurados vão decidir o futuro do ND. Uma freira ex-stripper a la Mudança de Hábito, vivida pela atriz Loretta Devine, a política conservadora, interpretada por Kathy Griffin e o lenda jornalística de Lima, o âncora Rod Remmington.

Aural se apresenta, cantando uma música chatinha sobre Jesus. Golpe da Sue para ganhar os jurados. Logo depois os Warblers cantam um dueto entre Blaine e Kurt bem fofo, seguido de Raise your glass que me fez cantar bem alto às 1h da manhã. O time de Kurt é aplaudido e a galera canta junto. Terminado a apresentação dos ‘rouxinóis’, chega o momento esperado da noite. Hora de ver as tais das originais dançadas. Depois de mais um drama entre Rachel e Finn, a co-capitã mais uma vez toma a responsa e é dela o solo de ‘Get it Right’. A apresentação é muito bonita. A voz da Lea Michelle, atriz que interpreta Rachel, é muito forte, e apesar das caras e bocas muitas vezes exageradas, arrepia. ‘Loser like me’ também ficou legal, bem coreografada e com um desfecho criativo. Acabam as apresentações, decisão dos jurados, e o prêmio é do ND. Claro, senão o que seria dos próximos episódios?

‘Original Songs’ termina, e foi um bom episódio, mas inferior nas performances musicais. Porque, empolgação e originais à parte, a apresentação do outro Regionals com o Vocal Adrenaline e o medley de Journey do ND foram bem melhores ao que assistimos nesta terça.

Mas valeu pelo final muito bonito do grupo e as apresentações cômicas de Puck, Santana e Mercedes. Além disso, acho que vale ressaltar a inovação e trabalho em lançar músicas novas( 5!!!) e mais uma vez o bom roteiro e tom ao tratarem a história do Kurt. Troféu estrela também para o desenvolvimento da personagem da Rachel, que ganhou até trend topics no twitter após o episódio. Acho que o Ryan Murphy, criador da série, começou a tomar umas aulas de continuidade.

Glee agora entra em hiatos até abril. No próximo mês retorna com Holly Holiday e a filipina e rival de Rachel, Charice Corazón.

16 down, 7 to go!

**ao som de ‘Only Child’, by Rachel Berry**

Uma resposta to “Regionais Originais?”

  1. Rodrigo Sampaio 17 de março de 2011 às 10:43 #

    EU quero assistir!!! 01 beijo

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: