Enrola, mas não mata.

3 mar

Série: The Mentalist
Episódio: #16 Red Queen
Temporada:

Canal de Exibição: CBS
Estrelas: 2 em 5

A verdade é que eu jurei que, dessa vez, os roteiristas de The Mentalist iriam me surpreender. Mas isso foi apenas uma ilusão.

Enfim, vamos as vias de fato. O último episódio de The Mentalist, que trás o nome de Red Queen começa DAQUELE JEITO. Com o enredo invertido, começando do final, a primeira cena faz com o telespectador abrar os olhos e boca e pense “UAU”. Depois da notícia bombástica, entra a frase “36 horas antes”, para você entender como tudo acabou daquele jeito. Sabe como é?

Bom, a noticia bombástica vem da descoberta que a nova chefa da CBI. Lembra dela? A sem carisma que eu dichavei  no post anterior, bom ela na verdade uma serial killer maluca.

Pelo menos é o que você pensa nos três primeiros minutos.

Para tentar me explicar  sem dar o nó na cabeça de ninguém, eu vou tentar seguir a ordem cronologia da coisa:

Á mais ou menos cinco episódios, um suspeito foi preso pela turma da CBI, por ser um assassino de policiais. Quando a captura é efetivada, e o suspeito está dentro da delegacia, Patrick Jane recebe a informação de o que suspeito tem um recado do Red Jonh para ele. Porém, quando Jane vai até a sala em que o suspeito aguarda, ele vê fogo, e o suspeito fritando. Resultado: alguém de dentro da CBI, que trabalha para o arquiinimigo de Jane tacou fogo no cara. E ponto final.

Depois desse episódio quente, um novo agente do FBI começa a trabalhar dentro da CBI, para investigar o assassinato do suspeito. O cara, que é um verdadeiro entojo, fica lá pressionando todo mundo, para efetuar a prisão do assassino, do assassino. Ta me acompanhando?

Ok, agora começamos com o episódio de verdade.

Tudo tem inicio quando os agentes vão investigar um assassinato em um museu. Só que entre idas e vindas, descobre-se que as mesmas digitais encontrada nessa cena do crime, foram encontradas no assassinato que ocorreu dentro da CBI.

Não me questionem como isso aconteceu, assistam e concluam. Eu me perdi.

De qualquer forma, o agente do FBI que esta investigando o homicídio dentro da CBI, que já desconfiava da Madeline Hightower descobre que ela estava tendo um caso com um dos policiais assassinados pelo suspeito. Ou seja, ela teria motivo e acesso ao vilão que morreu queimado umas semanas atrás.

Nessas a Madeline vira a principal suspeita e, num encontro com Jane, ela o faz de refém.

E você pensa, que bacana, descobrimos quem trabalha para o Red Jonh e agora o roteiro engata. Mas você engana. No fim descobre-se que a cena toda dela fazendo o Jane de refém era só uma fachada, e que na verdade ela foi incriminada.

Mas, como sempre, quem descobriu isso tudo foi o Jane sozinho. Ou seja, todo mundo pensa que a mulher é uma assassina, mesmo ela não sendo.

Ufa.

De qualquer forma, o episódio foi fraco.  E, pela primeira vez, ao invés de acrescentar, eu tiro uma estrela da nota final.

Porque pelo amor de deus, me enrola, mas não tanto.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: