Superconvencional

4 nov

 

Tomar a iniciativa para começar a escolher as palavras para descrever esse último episódio de Supernatural foi difícil. O episódio em questão ( you can´t handle the truuh) foi fraco. Primeiro porque a atuação do Sam, Jesus Cristo, é lamentável.

Segundo porque eu ainda não consigo identificar o que falta para série pegar ritmo na sexta temporada. Ás vezes acho que falta história, mas então penso que os roteiristas possuem toda a mitologia do mundo para discorrer. As vezes, acho que falta ação, mas depois penso que os meninões possuem todas as armas do mundo para chutar uns traseiros. Penso ainda que falta mesmo engrenagem no roteiro, mas ai lembro que essa é a sexta temporada com basicamente os mesmos roteiristas e havia alguma sincronia até a quinta.

De qualquer forma, o mistério envolvendo a volta de Sam do inferno é a trama do episódio. Ao que tudo indica, o garotão voltou diferente depois de tocar o “coisa ruim”, o que já não é novidade, porque o personagem vivido por Jared Padalecki,  já se envolveu com demônio, já virou vilão, já abraçou o capeta e tudo mais.

Talvez esteja ai a resposta para a minha frustração com a nova temporada de Supernatural,  essa requentada no roteiro ainda me incomoda. Os diretores pegam os modelos iniciais da trama e seguram ao máximo os esteriotipos, os mesmos erros, as mesmas tramas, os mesmo cenários, os mesmos papeis.

Há um mundo oculto por onde Sam e Dean podem caminhar, e ficar se perguntando se um deles é bom ou mau era interessante até a terceira temporada.

A essa altura, tudo me parece enrolação. A entrada misteriosa de demônios aleatórios que nunca mais aparecerão, a apelação à quesitos míticos que parecem de extrema importância para a série mas nunca mais voltarão a ser mencionados.

De qualquer forma, a série deixou de ousar nesse episódio e, como falamos de roteiros em que TUDO pode acontecer, acho que não ousar é até sacanagem com os fãs que aparentam ser tão dispostos.

Falando em Fãs dispostos, eu li esses dias que a série terá seu primeiro encontro oficial no Brasil, né?

Ao que tudo indica, a presença do anjo Castiel (Misha Collins) já está confirmada e o valor do ingresso para participar da convenção deverá ficar entre dos R$ 300 e 1000 reais. (Com direito a jogos, fantasias e atividades lúdicas)

Com toda expectativa para o evento, o que nos resta é torcer por uma grande reviravolta e uma confusão maldita para ser resolvida.

Porque, na minha opinião, de demônio em demônio, essa história não vai muito longe.

ah! Quem quiser ir até a convenção, eis o link:

http://www.klzevents.com/RisingConBrazil/Shop/

Eu ainda não escolhi minha fantasia.

Uma resposta to “Superconvencional”

  1. Giuliana Bianchini 4 de novembro de 2010 às 19:54 #

    Em pensar que eu já fui fã de ir em encontro de série de televisão…bem, arranjei até um namorado nesses programas índios da vida…

    Não foi tão ruim assim…eu e a Joanita concordamos^^

    Abraços

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: